07 novembro 2012

Ainda Ontem


Esta é uma preciosa recordação, preciso registro. 
A fé documentada de que São Paulo existe além de ti, de mim, bem antes que eu chegasse, antes que tu viesses, a árvore caiu no bosque. E reerguida Hécate se fez, se refaz, chateia, envelhece, mas amanhece sempre pronta para novamente reformular-se.
Ela está aqui, pulsando nas artérias carregada pelos homens que esperançosos sonharam e carinhosos concretizaram para nelas edificarem ainda mais, seus lares, perpetrarem vorazes suas loucuras, viverem ternos seus amores; de percal ir à missa, de verniz para o trabalho: é o que deu, construir! Construímos sem parar.
Antes...fotos feitas no passado são presentes transformadores carregados de tesouros, energia
no preto e branco das janelas
quinas 
esquinas
losangos 
retângulos, tijolos 
compassos 
circulo e, ih! 
Tanta história! Sua, suo, sal, amor, velocidade em
garrafa.
Tecido brocado bordado por todas as mulheres 
que trouxeram crianças
Aos homens que empurram a pedra em frente ao Ibirapuera.
Ti -bi cu- ééé -ra!! Grita solto o que se perdeu de si pelas ruas, labirintos do centro, um centro proibido 
progresso pregresso possesso -livre opresso enrolado num cobertor de riquezas com os pés de fora. Encanto em carmim numa colcha bordada em fios de metal, riscos pretos de cabelos - macia...de sucessos, esforços e uma quimera Azul ornada por ondas suaves de transparências brancas 
perplexa admiradora do movimento flutuando sobre a bandeira dos Bandeirantes. 
Posou um instante e tremula bem no meio de tudo.
De tanto
Para extravasar 
A excitação de sentir-se em requinte, em São Paulo presenciando a prática das humanidades. 
Expresso.
Livrai-a, senhor Deus, de que vire para onde o vento não quer. 
A pressa 
O Passo
Sobre o viaduto do Chá
Galopam em círculos cavalos brancos de brinquedo.
Porque têm medo, se tudo é tão simples?

Recebi a preciosa coleção de fotos raras do amigo Arnaldo Moreno, e não é a primeira delicadeza que apronta, com o coração recém nascido- todo dia em São Paulo. 
Fica com tudo, vão todas, nem que a madrugada vire dia, legenda, lendas. É quase um Natal.

Trânsito carregado é algo recente em São Paulo? Congestionamento caótico no Vale do Anhangabaú em 1969/1970, mostra que o problema do trânsito na
capital paulista é crônico e antigo. Fotografia tirada de cima do Viaduto Santa Ifigênia.

A famosa "porteira do Brás" que por décadas foi conhecida por atrasar o progresso do bairro e da Avenida Rangel Pestana, foi substituída por um
viaduto. Fotografia de Ivo Justino - 1950


O outro sentido da Avenida Rangel Pestana (centro-bairro) onde está a porteira do Brás, em um momento em que está aberta para o tráfego de veículos e pedestres. Ao fundo a Estação Roosevelt (atual Brás), 1950 - Crédito: Ivo Justino

Estação do Norte (depois renomeada para Roosevelt e atualmente Estação Brás) na década de 30. Foto: Sebastião de Assis Ferreira

Rua Augusta sempre agitada! Movimentação de pessoas e veículos na rua Augusta nos primeiros anos da década de 70.

 Avenida Paulista em 1976. Detalhe para as obras de construção dos futuros edifícios do Banco Real e do Banco de Tokyo S/A.

Trincheira de paralelepípedos em rua paulistana durante os intensos combates da Revolução de 1924.

 Tropas legalistas chegam à região central e ocupam a Várzea do Carmo em 1924. Ao fundo, o Palácio das Indústrias. Pouco explorada e divulgada, a Revolução de 1924 foi o maior combate armado que já ocorreu na capital paulista. Os danos, as mortes e a destruição causadas pelo combate deixaram a cidade repleta de ruínas.

 Uma imagem do que a Cidade de São Paulo perdeu: esta fotografia de 1926 mostra o fabuloso teatro do Palacete Santa Helena, na Praça da Sé, um dos
grandes marcos arquitetônicos da capital e que foi demolida por completo em 23 de outubro de 1971, após 117 dias de marretadas. Fonte: L'Illustrazione Italiana N.29 - 18/07/1926

Vista aérea da região central da Cidade de São Paulo em 1939. Ao centro, o Ed. Martinelli e, mais abaixo, o Mosteiro de São Bento.

A Nova York da América do Sul, é o que dizia o postal de Guilherme Gaensly, ao mostrar a construção do fabuloso Prédio Martinelli, o primeiro arranha-céu do Brasil.

1960 - Pedestres e veículos disputam o concorrido espaço da Rua Conselheiro Crispiniano. Anos depois, a rua deixaria de receber automóveis e seria transformada em um calçadão. Crédito: Marvine Howe/Associated Press


Ford estacionado na Praça da Sé em 1938. No fundo, destaque para o Edifício Rolim. Crédito: Benedito J. Duarte

Quem não conhece a famosa manteiga distribuída em lata, da Aviação? Fundada em 1920, é uma das marcas mais conhecidas do país. Na fotografia, a frota de veículos de distribuição da Manteiga Aviação em 1946.

 O Viaduto Boa Vista, sobre a Ladeira General Carneiro, que completou 80 anos.

 Vista da Igreja de Santa Ifigênia e da Estação da Luz (mais ao fundo) em fotografia tirada no terraço do Edifício Paysandu, então recém inaugurado.Hoje, devido aos novos edifícios, é impossível repetir esta mesma fotografia. Ano de 1937.
02/10/1960 - Inauguração do Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o popular Morumbi, com a partida entre o São Paulo Futebol Clube e o Sporting de Portugal. Os donos da casa venceram por 1 a 0, com gol de Peixinho.

Um dos maiores símbolos arquitetônicos de São Paulo, o Edifício Altino Arantes - popular Prédio do Banespa -  65 anos de história.

Guarda de trânsito orienta veículos e pedestres na Praça do Patriarca com rua Líbero Badaró em 1928.

Posse do novo presidente da Província de São Paulo, Julio Prestes, no Palácio do Governo (atual Pátio do Colégio). 17/07/1927

Raríssima fotografia do Tramway da Cantareira trafegando pela região do Tremembé. (Crédito: Divulgação / Acervo São Paulo Antiga) 

Acidente entre locomotiva do Tramway da Cantareira e ônibus coletivo na zona norte da Cidade de São Paulo, ano de 1944.
Rua da Penha (atual Avenida Penha de França) nos anos 40. Na década de 40, a então Rua da Penha tinha um comércio voltado ao turismo religioso. N. Sra. da Penha era reconhecida em toda a São Paulo como a padroeira da cidade.


Antigo estádio da Portuguesa, no mesmo local onde hoje está o Estádio do Canindé. Por possui arquibancadas de madeira e ser praticamente ilhado pelo Rio Tietê à época, o estádio recebeu o apelido carinho de "Ilha da Madeira". Ao fundo é possível ver o restante do bairro, com destaque para a igreja de Santo Antônio do Pari. Fotografia de meados dos anos 60.


 Panorâmica do Cambuci em 1925. Fotografia do primeiro estádio da Associação Portuguesa de Desportos, pouco depois de ser inaugurado. O estádio seria demolido no início da década de 30. Hoje há edifícios e uma grande avenida no local.

 Ponte da Casa Verde em 1938

Vista do então recém inaugurado Colégio Evangélico, na Rua Visconde de Ouro Preto, Consolação. No local hoje existe um grande edifício. Obra do arquiteto José Rossi, 1920.

Bolívia? Peru? Nada disso! É o Jardim da Aclimação em 1920, onde uma das incríveis atrações daquele ano era um divertido passeio de charrete puxada por uma lhama.

 Na fotografia de 1919, trecho do Cambuci onde seria aberta a futura avenida Independência, que seria batizada como Avenida D. Pedro I. Ao fundo, o Museu Paulista, da USP, popularmente conhecido como Museu do Ipiranga.

 Operários trabalham em obra de construção do Viaduto Santa Ifigênia em 1910
 Demonstração de atletismo da Força Pública em 1929 nas proximidades do Viaduto Santa Ifigênia.

Esplanada do Trianon - Início do século 20.Uma vista da Avenida Paulista muito antes dos edifícios, do trânsito e do MASP.

Bonde na Av. São João

Página inicial de um folder do Theatro Municipal de São Paulo destinado a turistas estrangeiros, de 1917.

Rara fotografia do Theatro Municipal de São Paulo no início de 1912, menos de um anos após ser inaugurado. Detalhe para o jardim impecável à época e para a lira no gramado.


 Raríssima fotografia de São Paulo, onde podem ser vistos, coexistindo por um breve período, o antigo e o novo Viaduto do Chá. O antigo é o da direita,próximo ao atual Shopping Light. Crédito: 1938 - Benedito J. Duarte


Sanatório Esperança S/A. Inaugurado em 1938, este hospital é um das mais belas construções hospitalares da cidade de São Paulo. Localizado na rua dos Ingleses, na Bela Vista, atualmente atende com o nome de Hospital Menino Jesus. Foto: Acervo do jornal Correio Paulistano

 Uma das mais emblemáticas fábricas de São Paulo, a Antarctica Paulista



 Palácio das Indústrias - Década de 50

Antiga sauna e piscina da Mansão Matarazzo no final da década de 40. Na garagem, à esquerda, é possível ver um dos carros da família, na Av. Paulista.

 Vista da recém inaugurada sede do jornal O Estado de S.Paulo a partir da Avenida Engenheiro Caetano Alvares, em meados dos anos 1970. Construção coordenada pelo Arquiteto Roberto Cerqueira César.
Vista aérea do Aeroporto de Congonhas na década de 1950.
Na fotografia, da esquerda para a direita: Dr. Washington Luís (então Prefeito de São Paulo), o aviador Alberto Santos Dumont e Fernando Chaves
regressando à capital paulista, após excursão à serra do mar. (Maio de 1916)


Vitrine da Lacta expondo seus produtos em feira da indústria. São Paulo,1918.

 Salão do Automóvel de 1969, no Parque do Ibirapuera, com destaque para o lançamento do VW 1600, popularmente conhecido como "Zé do Caixão",
desenvolvido no Brasil e que foi o primeiro veículo da Volkswagen com quatro portas no mundo.


3 comentários:

Primeira Divisão Revolucionaria disse...

Tudo maravilhoso, parabéns!!!

Jilberto Oliveira disse...

Olá, criador deste excelente blog! Parabéns pela iniciativa. Já morei em São Paulo, mas atualmente moro em Sergipe. Adoro a capital paulistana. Curto muito essas fotos antigas. Não me canso de olhar essas fotos de São Paulo de antigamente. Sucesso!

Raquel Oliveira disse...

Fantástico...